Stranger Things

Saudações, terráqueos!
Ontem, quarta, não teve post como deveria ter pois eu decidi que ia escrever sobre a nova série que eu tava acompanhando, e como só terminei hoje, acabei atrasando o post. Ah, e é bacana lembrar/destacar que não sou nenhuma crítica de cinema, e que essa é a opinião de uma pessoa leiga.
Bem, desde o fim de semana eu tenho ouvido falar da nova série original da Netflix, a Stranger Things. Vários amigos e páginas no facebook e twitter falando que era demais e “nossa você precisa assistir!!!” Eu decidi assistir essa birosca de um minuto pra outro ontem, e hoje cedo terminei a série de oito episódios.
Basicamente, a série conta a história de um menino, Will (Noah Schnapp), que sumiu misteriosamente depois de ser perseguido por uma criatura do mal, e a busca de seus amigos e familiares por ele. Durante a busca, Mike (Finn Wolfhard), Lucas (Caleb McLaughlin) e Dustin (Gaten Matarazzo) encontram uma menina bem esquisita chamada Onze (Millie Brown) – ou Eleven, em inglês -, que tem poderes psíquicos. Joyce (Winona Ryder), mãe de Will, sempre soube que o filho estava vivo em algum lugar, e com o passar dos dias descobriu maneiras de se comunicar com o menino através de luzes – e persistiu mesmo quando todos a chamavam de louca.
A série é muito divertida. Apesar de a história ser bem previsível e sem muitas reviravoltas surpreendentes, eu achei boa de assistir. É muito bem feita, tem uma trilha sonora suave e é cheia de referências a outros assuntos da cultura pop e nerd.
No entanto, algumas coisas na série me deixaram um pouco irritada e decepcionada com ela.
SPOILERS (LEVES) A PARTIR DAQUI
No começo temos o moço bonzinho (desculpa gente, não lembro o nome dele) que ajuda Onze. Ele lhe alimenta e chama o serviço social pra cuidar dela. Quando a empresa do mal chega, a mulher simplesmente o mata e já era. Forjam um suicídio e fim de papo. Alguns episódios mais tarde, Hopper (David Harbour) invade o prédio deles, bate nos seguranças e tudo o mais, e o que eles fazem? O jogam de volta em casa drogado, fedido e cansado e tentam a sorte de que ele não vai acreditar no que aconteceu no dia anterior, afinal, foi tudo culpa da quantidade enorme de bebida e remédios que ele ingeriu na noite anterior.
?????????
Quer dizer então que o gordinho firmeza da cidade que não fez absolutamente NADA de errado eles matam, mas o delegado que invadiu o prédio deles e descobriu um monte de segredos vai pra casa numa boa?
Depois, no episódio 5, Nancy (Natalia Dyer), irmã de Mike entra num buraco melequento, escuro e medonho por onde um monstro entrou, e o episódio acaba com a parede da árvore se fechando. No episódio seguinte, ela consegue fugir do monstro por onde? Pela passagem que tava fechada! “Ah, mas se abriu de novo quando ela passou” mais uma vez: super conveniente. Jonathan (Charlie Heaton) a escuta quando ela tá gritando no mundo-invertido, mas ela não escuta Barbara se esgoelando enquanto morre.
Outra coisa que achei estranho foi a normalidade com que os meninos agiram diante da morte de pelo menos uma duzia de pessoas bem na frente deles. Eram inimigos e tal, mas ninguém age tão normalmente depois de ver pessoas morrendo com sangue saindo dos olhos e orelhas. Pra mim isso foi realmente muito bizarro.
SEM SPOILERS A PARTIR DAQUI

Me resta dizer aqui que achei a Winona ótima nessa série, e ela tá cada ano mais bonita. Aliás, eu achei que todos os atores são ótimos, principalmente as crianças. Millie Brown é simplesmente incrível quando faz cara de mal pra usar seus poderes. Mas meu personagem favoritos de todos é o Dustin, ele é muito sensacional!

Como eu disse no início, essa é uma série sem muitos altos e baixos, é bem linear e simples. No entanto, é uma boa série pra passar o tempo. É divertida, não tem uma trama muito complexa pra se entender, tem a dose certa de monstros e suspense. Só achei que os últimos quatro episódios não foram tão bons quanto os primeiros, e o fim me deixou um pouquinho chateada – mas por ser chatinho mesmo, não pelo que aconteceu. O final deixa um ar de “terá uma continuação interessante” e eu já quero a próxima temporada, porque essa não durou uma semana nas minhas mãos HAHAHAHA

Vale a pena assistir?
Com certeza.
Será a melhor série que vi na vida?
Se você não for muito crítico, talvez.
Netflix mais uma vez tá de parabéns pelo ótimo trabalho que fez e eu espero que venham muitas outras séries assim pra nós (Luke Cage tá chegandooooo)
É isso aí, espero que tenham gostado e se assistirem a série contem pra mim o que acharam!
Atenciosamente,
A.

Deixe uma resposta