Lápis de cor Bruynzeel

E aí, galera do bem?

Como vocês sabem eu me enfiei de cabeça nessa história de desenhar, e por isso eu comprei uma caixa nova de lápis de cor – antes eu usava os lápis escolares da Faber Castel que não são ruins mas também não são lá essas coisas.

Quando eu comecei a pesquisar vi muitas marcas bacanas e conhecidas, mas a maioria das caixas de lápis tinham um valor muito superior ao que eu poderia gastar. Então me deparei com a Bruynzeel e, apesar de ter quase nenhum comentário positivo sobre a marca em blogs e sites – aliás, quase nenhum comentário positivo ou negativo, as pessoas não citam muito essa marca -, decidi arriscar.

 

Eu comprei os meus lápis pelo site Grafitti Artes e gente, tenho dizer que o serviço deles é nota 10. Pedi na quinta e na sexta eles já haviam chegado – isso porque pedi por Correios e não pela transportadora. Na mesma hora que fiz o pedido já recebi os e-mails de confirmação, faturação, embalagem e envio, praticamente um em seguida do outro – é importante destacar isso pois apesar de a entrega ser responsabilidade dos Correios, a agilidade da empresa em embalar e enviar o produto é essencial pra que o seu pedido chegue logo.

Ah, a única coisa péssima da minha compra nesse site foi que pedi alguns pincéis e eles são muito – M U I T O – diferentes da foto. São muito menores. Chega a ser ridícula a comparação. Então fica aqui a dica: só compre pincéis online se você já tiver visto o pincel pessoalmente e tiver certeza que é o tamanho certo. Eu comprei três pinceis que provavelmente vou usar pouco, sendo que pensei que meus problemas com pinceis estariam resolvidos – na verdade só começaram.

 

Uma coisa que é preciso dizer, embora pareça óbvio: pintar com lápis de cor é 200% diferente de aquarela, e eu vou fazer um post só pra destacar os prós e contras dos lápis (basicamente um post explicando o porquê de eu preferir aquarela hoje em dia).

Os lápis em si são muito bons. Eles são bem macios e eu notei que são bem resistentes também. Eu criei uma ilustração só pra testar os lápis, e durante o processo de colorir eu notei alguns probleminhas.

dorothy

(Desculpem pela qualidade meio bosta das fotos, depois eu atualizo aqui com fotos melhores). O desenho que eu fiz mais uma vez não foi nada do que eu planejava no início – na verdade eu não tinha nada planejado, só desenhei a esmo e deu nessa Dorothy negra e bonequinha *-* Eu tive bastante dificuldade em desenhar os pés dela, mas tive um pouco mais de facilidade com as mãos – pratica e treino, baby! – E  também tive bastante dificuldade em criar um fundo pra ela, tanto que eu não achei que o resultado final tenha ficado satisfatório e provavelmente vou refazer esse desenho – em aquarela.

Embora os lápis se misturem bem, eu tive dificuldade em deixar a cor homogênea. Eu sei que existe um lápis especial pra isso, chamado Blender, que é responsável por misturar as cores, mas eu só descobri isso depois que já tinha comprado os lápis – obrigada, Dani, por mais essa dica <3 Tive que me virar sem ele e não curti muito a experiência HAHAHAHA Quando você começa a estudar mais sobre técnicas de desenho seu olhar muda e você acaba não aceitando mais certas coisas que antes pra você eram normais. Eu sempre tive muita facilidade pra fazer sombras e degradês, mas dessa vez já não achei que ficou tão bom e senti mais dificuldade nas sombras e etc.

No geral a pigmentação dos lápis é boa, mas eu não gostei muito da cor preta, pois achei que não é tão forte – tive que forçar bastante o lápis pra ficar um preto realmente escuro, tanto que há partes em que a cor tá mais clara porque eu já tava cansada. Achei que há algumas cores desnecessárias no estojo por serem muito parecidas com outras cores – tem dois tons de marrom-acinzentado, por exemplo, que eu usei pra fazer o tronco das árvores que são praticamente idênticos, embora sejam bem diferentes na ponta colorida na parte inferior do lápis. Essas cores “duplicadas” poderiam ser substituídas por outras cores e, assim, tornariam o estojo mais usual ainda.

img_1362 img_1363

img_1364

E sobre os lápis, apesar de serem muito bonitos de se ver, achei péssimo que alguns lápis tem a cor muito diferente do grafite. Vejam no exemplo acima: a cor do lápis é bem escura, como um preto azulado, mas na verdade ele é só um azul escuro – foi com esse lápis, aliás, que eu fiz o contorno do vestido da Dorothy (bem de levinho, é claro). Percebam como ele é bem azul e nada parecido com a cor do lápis.

img_1365

Fiz ainda alguns testes com os lápis antes de colorir o desenho. O primeiro teste era pra ver como as cores se misturavam, e dá pra perceber que algumas cores se misturam melhor do que outras (não tive critério pra escolher as cores, foi aleatório) e também testei a pigmentação dos lápis quando apagados – primeiro escrevi bem forte e depois mais fraco. Enquanto coloria o meu desenho me deparei com erros e tive que tentar corrigir: caí no erro de tentar apagar e, além de o meu papel não ser tão resistente e meio que esfarelar (a borracha que não era tão macia ajudou bastante nesse processo), a cor não saia totalmente do papel e eu tive que dar um jeitinho em várias partes do desenho. A parte mais evidente é no canto inferior esquerdo, entre a árvore e a estrada amarela, onde eu tentei desenhar umas flores e falhei miseravelmente – ficou muito tosco. Apaguei e quase destruí a folha, mas deu pra dar uma maquiada.

 

Bem, essa é a minha experiência com os lápis. Não foi péssima e nem maravilhosa, e eu diria que os lápis são bem satisfatórios, embora eu saiba que vou usá-los mais como suporte pros meus desenhos em aquarela – contorno, detalhes, etc. Vou voltar a usar os lápis com alguma folha mais lisinha pra ver se a textura do papel me ajuda a gostar mais do resultado com os lápis, mas acho que agora não tem mais volta: meu amor por aquarela só cresce – aliás, já comecei um desenho novo e acho que vai ficar lindão <3

O post já ficou enorme HAHAHAHA então até o próximo, pessoal!

escrito-por_alana

2 Replies to “Lápis de cor Bruynzeel”

  1. Esses lapis são otimos, porem deve ser utilizado em papel de 120G no minimo , para mostrar que supera em muito faber castell e staedtle, diria que esses lapis tem nivel profissional igualado aos koh i noor, e fica atras do MARCO RENOIR lapis chines porem quase um prismacolor em termo macio e pigmentado .

    1. Eu ainda não os usei muito, mas gostei! Ainda tô aprendendo e vendo as diferenças hehehe obrigada pelo comentário 😉

Deixe uma resposta