Carnaval

Bom dia, foliões!

Todo santo ano nós brasileiros vivemos a famosa época do Carnaval. Atire a primeira pedra quem nunca disse “afe, que saco o carnaval, só bunda e samba, odeio ser brasileiro!” mas no feriado ficou bem feliz com as pernas pra cima, curtindo o tempo livre.

Por anos, eu assumi essa postura de “nasci no país errado” e nunca aproveitei o carnaval – mas sempre amei ver os desfiles das escolas de samba, embora tenha perdido o hábito de assistir depois que cresci. Quando descobri que o beija-flor tatuado no tornozelo da minha mãe era por causa da escola de samba fiquei tão decepcionada que nem posso expressar e palavras. A minha mãe, uma mulher culta e cheia de cultura, fã de carnaval? Essa cultura imbecil e suja de pão e circo? Quando eu dizia aos meus amigos que meu pai tocava na Orchestra Paissandu, grupo esse que tocava samba, sempre acrescentava um “mas não é esse samba ruim, ele tocava samba bom” – embora o único show completo que eu tenha dele em casa seja do Carnaval de 1997 da MTV – como se tocar samba fosse algo terrível.

Crescer me fez enxergar que nem tudo é preto ou branco. Nem tudo é certo ou errado. Sempre há pontos de vista diferentes, perspectivas que nos fazem entender as coisas como elas são verdadeiramente. É um pouquinho difícil admitir que não é só porque você não gosta de determinado estilo musical – ou qualquer outra coisa – que ele não seja cultura. Gente, nós somos um povo alegre, festivo, quente. Isso reflete na nossa cultura, que é inegavelmente expressada em samba, axé, funk e tudo o mais. Você pode tentar se fazer de culto e negar o que seu país tem de bom, mas no fim não vai conseguir.

De um tempo pra cá, eu tenho refletido muito sobre o que é viver e, principalmente, o que é curtir a vida. Por muito tempo eu me privei de felicidades, mesmo que momentâneas, por causa de problemas que eu mesma inventava. Em quantas festas eu fiquei de cara feia porque tava tocando sertanejo? Em quantos carnavais eu poderia ter me divertido, mas preferi ficar em casa resmungando sozinha que preferiria estar em Londres?

Foi num desses domingos que eu fiquei com uma vontade doida de participar do carnaval esse ano. Eu estava na Av. Paulista e passamos por uma escola de samba pequenininha. Eu achei aquilo um máximo. A avenida fechada pra carros, todo mundo dançando feliz e a escola de samba avançando devagar. Neste dia eu decidi sair da minha zona de conforto e viver coisas que eu nunca vivi. Amanhã vou a um bloquinho no centro de São Paulo toda trabalhada no brilho e com muita vontade de dançar e me divertir. Vou com meu namorado, meu irmão e uns amigos – afinal, uma festa é uma festa e é você quem faz dela o que quer que seja. Se você quer ir pra pegar vários ou várias, vai ser assim. E se quer ir só pra dançar e curtir, vai ser assim também.

É claro que nem tudo são rosas e que tem muitos lados negativos nessa coisa toda. Mas eu não estou aqui pra pontuar coisas ruins, e sim pra dizer que às vezes podemos tirar proveito até de situações desagradáveis. Basta estarmos abertos à novas experiências.

E, se mesmo com tudo isso você não queira aproveitar o carnaval em blocos de rua ou algo assim, aproveite muito em casa, assistindo um filme gostosinho ou dormindo pakas – eu, felizmente, terei tempo mais que suficiente pra aproveitar dos dois jeitos! Só não fique reclamando por aí, azedando o dia de quem quer fazer diferente, ok? Se cada um curtir pensando em si e não atrapalhar o coleguinha, vamos passar por esse feriadão maravilhoso muito felizes.

Ah, e tem muuuitos bloquinhos legais com vários estilos diferentes aqui em SP pra todo mundo poder curtir. Clique AQUI e veja quais são (tem mais um monte de bloquinhos, é só dar uma googada).

 

É isso! Bom feriado pra todo mundo, e não esqueçam de usar camisinha!

Até o próximo post,

A.

 

[EDIT: Olha eu no carnaval, que belezinha! Fui com meu namorado de “gatocórnio” (gato + unicórnio). Meu irmão e um amigo foram também, mas não se fantasiaram de nada 🙁 ]

Meu amigo Felipe e meu irmão Achiles

2 Replies to “Carnaval”

  1. Gostando ou não, é como vc disse: “Só não fique reclamando por aí, azedando o dia de quem quer fazer diferente”.

    Bom carnaval

    1. Exatamente, baby! Bom feriado pra você também!

Deixe uma resposta