Sopa de meleca

[Este post contém spoilers sobre Game of Thrones]

Bom dia!

Neste domingo tivemos mais um episódio de Game of Thrones, e com o episódio vem mais uma resenha minha hahahahaha

Esse foi um episódio mais “morno”, embora tenha tido o final que teve – já falo sobre isso. Vou começar pelo fato de que mais um desencontro vai rolar, obviamente, já que Arya tá indo pro Norte e Jon pro Sul. Felizmente Sansa ainda tá em Winterfell, então será que veremos um encontro Stark no próximo episódio? Bem, infelizmente eu acho pouco provável. Vale lembrar que Sandor Clegane também está por aquelas bandas, e vai saber o que pode acontecer se/quando ele se encontrar com Arya. Ela se juntará à Irmandade Sem Bandeiras? Vai finalmente matar o Cão? Ou esse encontro simplesmente não vai rolar?

E chorei largada com a cena da Nymeria. Claro, a gente sabe que ela é ela mesmo porque é o único lobo gigante do bando hahaha mas fiquei boladona. Pra quem não entendeu, Arya diz “essa não é você” se referindo às suas próprias expectativas sobre Nymeria. Arya queria que ela abandonasse o bando e ficasse com ela, mas esse lobo da cabeça de Arya não é o lobo de verdade, que é líder de um bando enorme, feroz e livre. Essa cena é uma referência à um diálogo dela com Ned, seu pai, onde ele diz que ela crescerá e se casará com um homem de alto nascimento, ao que ela responde que “essa não sou eu”.

A pergunta que não quer calar é: aonde foi parar o Fantasma, lobo gigante de Jon? Não lembro de terem dito que ele morreu, terá fugido pra além da muralha?

E por falar em Jon e Sansa, fico impressionada em como Jon tá determinado a proteger a Muralha custe o que custar. Ele tem sua opinião e não abre mão dela, e eu acho que isso faz dele, ao mesmo tempo, sábio e idiota. Sábio porque devemos confiar em nós mesmos, mas idiota porque todos somos suscetíveis a erros. Na minha opinião, Jon tá supercerto ao ir ver Daenerys, já que ela é obviamente a chave na guerra contra os Caminhantes Brancos. Por outro lado, é meio incerto deixar Sansa no controle do Norte. Não que ela seja menos capaz que ele pra controlar os vassalos – pelo contrário -, mas a personalidade da personagem vem se moldando e se tornando surpreendentemente frígida. O que Sansa fará agora que detém o poder? E pior: o que Petyr Mindinho Baelish fará diante disso – principalmente depois de seu desentendimento quase infantil com Jon -?

E aqui fica meu desabafo: não aguento mais o Mindinho. Beleza. legal, o Vale salvou Jon na Batalha dos Bastardos, mas o Mindinho simplesmente não cala a boca e fica na dele. #TeamVarys

E Varys, no entanto, não tá muito melhor do que Mindinho. Eu achei que Daenerys foi bem da infantil colocando ele na parede daquele jeito. Ela queria que ele tivesse feito o que quando o pai dela morreu, que tivesse morrido junto? Eu espero de coração que não tenha essa cena idiota nos livros, até porque quem salvou o lindo pescocinho de Aegon Targaryen – o filho de Elia Martell que ainda tá vivo e já desembarcou em Westeros nos livros – foi Varys. E foi ele também que ajudou Daenerys mesmo que por baixo dos panos (se eu estiver errada, me corrijam, é o que eu lembro dos livros). Não briga com meu Varys sua dragoa! hahahahaha

E aquele bla bla bla com Melissandre foi outro de revirar os olhos. “Diga a Jon que sua rainha o chama” ai meu deusssssssssssssssss revirei tanto os olhos que foram parar na nuca. Olenna Tyrell deu, de novo, um show de sabedoria e foi uma verdadeira escola de samba na cara da Dany quando ela disse “Seja um dragão”. Nossa, achei sensacional, eu venerooooooo a Olenna.

Sem falar na cena absolutamente desnecessária e só pra dar um caldo quente de tetas e romance pra série: Missandei com Verme Cinzento. Ôh jesus! Pra quê? Se a gente tentar esquecer o fato de que Verme Cinzento praticamente não é mais um humano devido ao seu treinamento intenso e cruel pra se tornar um guerreiro da até pra shippar os dois – sou pisciana e confesso que fiquei tentada a me deixar levar por esse romancezinho bobo. E também não dá pra negar que foi uma cena muito bonita, e foi interessante de ver que os produtores se lembraram que existe sexo oral pra mulheres também – e pra você, querido leitor do sexo masculino, que não consegue sequer imaginar como Verme Cinzento deu prazer à Missandei sem um pênis, devo dizer que tenho pena da sua namorada/parceira/esposa/peguete/etc.

E MEU DEUS o que foi aquela cena do Sam Tarly com Jorah Mormont? Eu acho é muito engraçado que tinha gente questionando se o homem que falou com ele no primeiro episódio era mesmo o Jorah. As pessoas ficavam “mas como ele foi parar ali se ele tava no outro continente?”. Gente, acorda pra vida, em Game of Thrones a passagem do tempo é totalmente incerta e não é clara, até porque o tempo passa de maneiras diferentes dependendo do arco, mas o tempo passa, e passa muito rápido! De uma cena pra outra podem ter se passado dias ou meses! Isso é meio óbvio, mas parece que tem gente que não consegue entender que os arcos acontecem simultaneamente, mas como são muitos arcos, o tempo fica indo e voltando conforme for a necessidade. Deu pra sacar? Mas agora não tem como duvidar, né, aquele é mesmo Jorah e ele tá todo f@&#$, tadinho. Aqui fica o questionamento: se Sam leu em um livro que estava na Sessão Proibida (eita que saudades que dá de Harry Potter quando falo “Sessão Proibida” hahahaha), por que NINGUÉM ainda descobriu a cura pra escamagris? Ou será que, por causa do Meistre que escreveu o livro ter morrido também de escamagris, ninguém mais quis tentar salvar as pessoas com essa doença? Isso é muito egoísta, mandar todo mundo com escamagris pra Valirya sem tentar encontrar uma cura. Agora resta saber se Sam morrerá de escamagris também – espero que não!

E, queridos produtores, eu agradeceria muito se vocês não misturassem pus e carne podre com comida. Acho que nunca mais vou conseguir comer creme ou coisas cremosas com crosta em cima sem me lembrar dessa cena.

Ah, já tava esquecendo o tapa na caraaaaaa que Jaime tomou do Randyll Tarly, pai do Sam Tarly, quando disse que “Não traímos nossos aliados e nem cortamos pescoços em casamentos”. XABLAU NA SUA CARA JAIME. Tá certo que Randyll é um belo de um filho do putO com Sam, um pai terrível mesmo, mas achei certíssima a posição dele. Ele e Olenna são amigos próximos, não tem porque ele se aliar à Cersei – até porque, até agora pelo menos, as coisas não estão muito bem pra ela, né? A única coisa que Cersei tem é muita autoconfiança e uma besta gigante que promete matar dragões – veremos!

Por último, tivemos aquela batalha contra Euron Greyjoy. Meu deus como eu detestoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo esse projeto de metaleiro! Vamos começar esclarecendo que Pedra do Dragão é BEM perto de Porto Real e que, bem, Euron é um pirata muito mais experiente do que seus sobrinhos. Pra ele encontrar acidentalmente os dois era muito, muito fácil. Mas me decepcionei muito com as cenas de luta com as Serpentes de Areia. Elas são GRANDES guerreiras, mas ficaram parecendo crianças lutando. Não gostei mesmo, deviam ter sido mais difíceis de serem mortas. E Asha – Asha, sim, porque me recuso a chamar ela de Yara como a chamam na série – não deu nem um caldo contra Euron, tomou uma surra. Tá bem, Euron é um excelente guerreiro e ele obviamente venceria dela, mas não pensei que seria tão fácil. SEM CONTAR QUE as Serpentes usam veneno nas lâminas, por que ele ainda tá de pé então, hein, queridos produtores? Mais um furo do roteiro?

E eu tô muito em dúvida sobre o que pensar de Theon. Vamos partir pelo fato de que ele é um homem quebrado. Ramsay realmente destruiu a essência dele, arrancou e pisoteou. Ou seja, Theon talvez nunca volte a ser um guerreiro vigoroso. MAS ele também não é burro. Sabe que, numa luta contra Euron, ele morreria. Será que há a possibilidade de ele ter fugido pra voltar e salvar Asha depois? Não quero pensar que ele será pra sempre um covarde, mas só saberemos disso nos próximos episódios.

Estamos indo para o terceiro episódio de sete e podemos ver que menos episódios é igual a mais grana injetada em cada um deles, o que resulta em produções ainda melhores do que das temporadas anteriores. Assim, fico aqui na ansiedade por um episódio de guerra que supere A Batalha dos Bastardos – se você não se lembra, falei sobre ele AQUI.

 

É isso!

Até o próximo post, pessoal!

A.

Deixe uma resposta