HORA DO (K)DRAMA: ONE MORE TIME

ON AIR

 

Annyeonghaseyo Usagi imnida!

Eu sinto muito ter deixado vocês na mão semana passada, mas eu estava com um tremendo bloqueio criativo e mesmo reassistindo o dorama que eu tinha em mente para resenhar, nada veio em mente – vou pensar em algo para compensar, nee?

Leggo amados que hoje tem!

Desde que a Netflix começou a publicar Doramas na sua plataforma, os coraçãozinhos dos dorameiros assinantes ficou mais aquecido, isso é fato. Em meados de 2015, a Netflix não contente em publicar, ela resolve PRODUZIR junto com as indústrias ocidentais, resultando em muitos doramas japoneses e coreanos – não vou negar que A-M-O, tô pagando Netflix pra isso mesmo, mon amour! Se isso foi uma boa ideia ou não, só vamos descobrir assistindo aos doramas originais da Netflix e é ai que One More Time entra.

Uma pequena nota antes de começarmos: na realidade One More Time é um Web-Drama, portanto tem menos episódios e menor tempo de duração – apenas 8 episódios com mais ou menos 30 minutos (ou seja, não tem desculpa que é longo e você não tem tempo pra assistir!).

Yoon Tan (Kim MyungSoo) é o vocalista de uma banda K-indie [comentário da Alana: K-indie é um mundo musical incrível e estamos planejando vários posts sobre isso!] que, com quase 10 anos de carreira, a banda – e ele – continua sem sucesso algum. Cheio de dividas, exausto da vida e inclusive do seu relacionamento de 7 anos, Tan aceita a primeira proposta que o ocorre pra trabalhar solo mesmo que isso signifique deixar sua banda e sua namorada para trás.

DaIn (Yoon SooHee) é a tecladista da banda e a namorada de Yoo Tan. Extremamente devota ao boy – ás vezes da vontade de dar um chacoalhão nela. É bem nítido que ela o ama incondicionalmente, sempre cuidando e o apoiando (mesmo que ele não mereça cof cof). No decorrer da trama conseguimos visualizar suas motivações pra ser TÃO dedicada assim.

Yoo Tan ~suspiros de decepção~ foi um personagem que me chateou desde o começo. Como eu o odiei por ser tão egocêntrico, ingrato, invejoso, rude e otário! Foi um show de decepções for real, mas enfim, depois desse desabafo vamos dissertar sobre o cretino. No início da trama temos um Tan já frustado com a sua situação financeira, familiar e romântica. Assim que ele tem uma chance de fazer dinheiro, não pensa duas vezes – mentira, ele pensa umas horinhas! – e ingressa na empresa. Após ele assinar o contrato e ter uma briga horrenda com sua namorada – que leva o relacionamento ao término – sua manager (ou algo assim) o leva para uma festa de comemoração. Após ter chapado o globo, o garoto vai embora sozinho e acaba caindo em um lago – ou seja, nunca fique louco sem ter aquele amigo do peito para te carregar e carregueis para que sejas carregados.

Após cair neste lago – que infelizmente não tem piranhas nem sanguessugas para devorar o maldito – ele acorda e surpresa! É o mesmo dia de “ontem” – calma, até eu me confundi agora HAHAHAHAHA. Enfim, é 4 de outubro novamente e tudo que aconteceu no dia anterior se repete, Yoo Tan se vê preso naquele dia TODO O DIA e até que ele descubra o que está de errado ESSE DIA VAI CONTINUAR SE REPETINDO, não é aterrorizante?

Well, ele fica aterrorizado mesmo em primeiro momento, mas depois o infeliz começa a aproveitar do dia da forma mais egoísta possível – disappointed but not surprised -, ou seja, procurando meios para ficar rico rapidamente e dormir com várias mulheres. Mas tá, e aí? O dia continua se repetindo e ele finalmente descobre o motivo: DaIn sua namorada (ou ex-namorada), sofre um acidente e ele precisa salvá-la.

Ai finalmente entramos na história do casal e de DaIn.

DaIn teve um passado difícil. Além de ser azaradíssima, no colégio foi vítima de bullying – isso piorou quando ela perdeu seus pais -, não tinha motivos pra viver. Sua vida era uma eterna nuvem negra de pensamentos negativos e mórbidos. Enfim ela conhece Yoo Tan que dá literalmente um T(CH)AN na sua vida. As nuvens negras? Desapareceram. Os céus estão azuis, o sol brilhando e de bônus um belo arco-íris, mas claro só pode permanecer assim com uma condição: enquanto houver amor.

É muito triste quando vemos os flashbacks do casal mega fofos e completamente apaixonados – dá até um friozinho na barriga e aquela vontade de urrar “OTP!” aos quatro ventos -, e depois lembrarmos o rumo que a relação teve após 7 anos, é um verdadeiro balde de água fria do tipo “amor tem sim prazo de validade!”

O mais interessante é ver o amadurecimento do Tan Yoo no decorrer do dorama. No primeiro episódio ele é totalmente diferente do Tan no último episódio, é uma mudança radical. Eu até entendo os pontos dele pra acabar se tornando o ser humano deplorável que é nos primeiros episódios. Tá, pensa só: você com 10 anos de carreira sem ser reconhecido pelo público, cheio de dívidas e sem esperanças que algo vai dar certo na sua vida. Assim ele acabou direcionando toda sua frustração para família e amigos se tornando distante e indesejoso com a vida, preso num eterno “tanto faz”.

[SPOILER ALERT]

Se você quer assistir esse dorama livre de spoilers pare por aqui e vá para o final do Spoiler Alert, não estrague sua experiência, MAS se você já assistiu vem comigo!

Sobre o desfecho desse dorama: Decepcionante! O enredo apesar dos pesares me agradou bastante.

Teve elementos que me fez revirar os olhos, tipo a ceifadora mirim com um vira-tempo do Harry Potter (?) Eu não sei vocês, mas eu não engulo essas coisinhas, tipo… Não teve nenhuma utilidade! Sem contar que aquele objeto carrega toda uma lenda da J.K. Rowling e enfiam no dorama sem mais nem menos – Ok, é para simular que a menina está fazendo o Yoo Tan voltar no tempo blablabla, mas não tinha pra quê disso pois já tinha ficado nítido e mano mesmo assim era só inventar outra coisa AAAAAAAAR

E o final? Quando finalmente o tempo flui para o dia 5 de outubro, Yoo Tan tá em uma realidade paralela, tipo, QUÊ? Ok, eu posso até cogitar que o motivo explicado em partes é:

  1. A ceifadora não consegue realizar o desejo da DaIn de fazer o Tan feliz após sua morte
  2. Então os dias vão se repetir eternamente
  3. Pra sair desse looping eterno de tomação no anus ela os transporta para uma realidade paralela.

Mas isso ficou muito jogado, não teve explicação, causa, motivo ou circunstância, ou seja, ficamos só na teoria. O dorama acaba muito ????? com eles se conhecendo novamente e como eu ODEIO quando os doramas acabam assim. Parece que o coreanos não aceitam fazer um final triste, eles fazem uma solução mirabolante – com diria a Alana – para algo que não tem solução (ou seja, a morte), e assim cagam com toda a história maravilhosa que fizeram.

[SPOILER ALERT’S END]

essa foto dá a impressão que as nuvens estão se movendo, foda né? HAHAHAHA

A fotografia desse dorama é realmente incrível, talvez uma das melhores sem exagero – olha que eu nem gostei tanto assim do dorama! Todo o visual é bem trabalhado, as cores do ambiente combinam perfeitamente com as roupas dos atores e também transmitem o real sentimento que carrega a cena; também podemos ver em algumas cenas o efeito tilt shift (aquele desfoque nas bordas) – não sei o motivo de eu gostar tanto desses desfoques, mais tarde eu procuro algo poético e coloco aqui HAHAHAHA.  A trilha sonora é toda trabalhada no indie e por ser um dorama que foca na música algumas delas são cantadas pelo próprio Kim MyungSoo – pra quem não sabe o MyungSoo (mais conhecido com L) é do boygroup Infinite! Os atores estão de parabéns também, MyungSoo me surpreendeu muito, a princípio eu fiquei “não pode ser o L!?” Mas ai descobri que era ele mesmo – e como ele cresceu! -, já vi outros trabalhos dele, mas nenhuma das suas atuações se compara com esse personagem. SooHee também não fica pra trás, ela já contracenou com o MinHyuk do BTOB em Iron Lady (After the Play is Over) – esse eu ainda não assisti HAHAHAHA quem sabe semana que vem eu volte com uma resenha dele? -, mas até então nunca atuou como protagonista e felizmente se mostrou um verdadeiro prodígio. A química entre os dois foi ótima, passou a sensação de um casal realmente apaixonado, mas também nos mostraram um casal que caiu na rotina, ou seja? Arrasaram!

O web-drama é bom comparado a maioria que tem um roteiro fraco e desconexo – o único que supera esse provavelmente é Star Of The Universe com o Suho do EXO – a fotografia foi realmente o que mais me agradou (perdão gente, mas é de família! A Alana e o Erick são os loucos da fotografia também AHAHAHAHA). Deixo esse com um 7/10!

 

Você pode assistir One More Time na Netflix!

 

Aqui foi a Usagi e corta!

OFF AIR

Deixe uma resposta