KIM NAMJOON, O RAP MONSTER DO BTS!

ON AIR

Annyeonghaseyo Usagi imnida!

Hoje, dia 12 – ontem na Coréia -,  é aniversário de um dos líderes mais preciosos do Kpop, Rap Monster – not dance monster! HAHAHA. Não só eu como a Lola e o Erick admiramos muuuuuuuito o Namjoon e estamos sempre falando dele e de como ele é apaixonado pelo que faz – assim como nosso chuchu, Dean.

Mas por que um post exclusivo pro aniversário do Rap Monster? Olha não sei, só sei que eu precisava dissertar sobre esse ser humano maravilhoso, talvez nem vá para o ar o post, mas gostaria mesmo de expressar toda a minha admiração por esse cara, por isso vou falar mais dele e sua carreira solo. Então leggo!

Pra começo de conversa o BTS não existiria se não existisse o Rap Monster – que stage name terrível, mas a gente engole né HAHAHAHA – [PARA OW! Rap Monster melhor stage name. -Erick], mas vamos voltar no passado quando o Nam era um rapper independente, seu nome artístico era RUNCH Randa – beu teus??? Que nominho feio -, nessa época lançou algumas faixas e até colaborou com o Zico – Namjoon conhece o Zico desde de criança. O nome da colaboração é Fuck Cockroachez, a letra fala sobre a realidade dura, sobre as suas escolhas que não deram certo e de como os jovens são escravos da escola. Apesar da letra ser BEM negativa, tem algumas partes que ele afirma que não vai desistir tão facilmente e quase te coloca pra cima, mas só no quase mesmo – mano, eu não reconheci a voz do Zico e a do Nam tá extremamente diferente HAHAHAH. [Nam, Zico e Dean seria a tríplice para destruir todos nós do Watashialana? HAHAHA -Erick]

Namjoon também fez parte do grupo de hip hop independente chamado Daenamhyup – só nome horrível, Kim Namjoon -, composto pelos membros Marvel J, l11ven, Supreme Boi, Ferro, Kyum2, Kidoh, Samsoon, Illipse e DJ Snatch – se eu não me engano o Supreme Boi e o Kidoh eram candidatos para debutar no BTS. O grupo foi ativo de 2009 e 2015, mas o Nam não participou dos últimos anos por estar focado na sua carreira dentro do BTS, e não sei se fico triste ou feliz.

Namjoon recebeu uma ligação de Sleepy do Untouchable, e acabou fazendo a audição na Big Hit por conta dele, na época ele tava se concentrando nos estudos – antes do seu debut Namjoon era extremamente fiel aos estudos, pois acreditava fielmente nas palavras “se você não estuda agora, você não conseguirá obter sucesso no futuro”, mas nunca foi seu grande prazer estudar (e o de ninguém né, Nam? HAHAHA), a única coisa que ele gostava do estudo era a sensação de conquista e superioridade. Certo, ele só fez essa audição por dois motivos: na época o BTS não estava nesse tipo de formato, a principio eles não dançariam e seriam no formato 1TYM da YG – o menino foge mesmo da dança HAHAHA. E também naquela época ele foi rejeitado em uma audição para Big Deal Records e ficou desesperado – coitada dessa empresa agora, né? HAHAHAHA

Apesar de odiar dançar – até hoje -, se submeteu a isso pois fez um trato com a empresa: Tu pode escrever suas músicas e produzi-las, mas vai ter que dançar, sim! Isso o desanimou muito no começo e ele até pensou em desistir, porém graças aos seres superiores – ou a Kim Namjoon mesmo e sua incrível força de vontade e determinação -, ele se manteve firme até hoje. E teve muitas outras coisas que Nam se submeteu a fazer como Idol, mas ele afirma que foi tudo escolha dele e que no final o que realmente importa é ouvirem sua música – olha, não tem como não te amar, Kim Namjoon!

No dia 4 de março de 2015, lançou o single com a colaboração do rapper americano Warren G , a faixa se chama “P.D.D” que é a abreviação de Please Don’t Die, apesar da batida da música ser suave a letra é bastante agressiva e também é direcionada aos seus haters. Em uma entrevista para a rádio Hip Hop Playa, Namjoon disse “Eu acho que inconscientemente pensei que seria divertido falar sobre uma história levemente brutal por cima de uma batida suave” e que recebeu inspiração da música Regulate – do próprio Warren G – para criar P.D.D.

Ainda em março de 2015, lançou seu primeiro mixtape intitulado como RM com 11 faixas e 3 MVS com as músicas deste que são: Do You, Awakening e Joke. O conceito do seu mixtape “RM” é mostrar que Kim Namjoon é um hipócrita, sim, ele mesmo disse isso. Ainda na entrevista com a rádio Hip Hop Play, Namjoon afirmou que, ao analisar a capa do álbum, podemos ver que se rosto está pintado uma parte de preto e a outra parte está limpa, assim ele quis mostrar que é uma pessoa de duas caras. Namjoon disse que é positivo, mas que também é negativo pra outras coisas, que prega a esperança, mas logo em seguida esquece disso “Há tantos lados dentro de mim, mas no fim, esse sou eu, e para você que está ouvindo isso, é apenas você também“, e Do You é o que representa tudo isso. Eu admiro esse cara pra caralho e não vou nem conter nem o palavrão, isso é tão real – o que ele falou sobre si mesmo, no caso -, podemos ver isso até hoje, tanto que em Cypher PT4 ele diz que ama a si mesmo, mas e em Reflection ele diz que gostaria de poder se amar. Pra você ver como a personalidade da pessoa é forte, mesmo que agora BTS tenha se tornado mais popular – de 2015 pra cá -, ele não mudou sua essência e eu fico feliz com isso.

Falando ainda do Mixtape RM, Nam disse que trabalhou da forma mais confortável possível, como é um trabalho pessoal ele pôde colocar toda sua personalidade nisso, mas trabalhando com o BTS não é uma coisa só dele então ele tem que pensar mais e seguir o conceito do grupo. Com a faixa God Rap, Namjoon quis passar que não existe um deus no mundo – e não que ele seja o deus do rap – e que os únicos deuses somos nós mesmos. Isso se baseia na sua ideia de que ele próprio escolhe seu destino. E, sim, o Namjoon é ateu – e, pelo amor de Deus, gente, o menino não é obrigado a ter religião e nem acreditar em nada, não vão odiá-lo de graça. Respeito acima de tudo, beleza? A última faixa do mixtape, I believe, também contém um significado especial. Namjoon disse que não importa qual foi o processo anterior, no final ele sempre acredita em si mesmo.

Ainda em 2015 colaborou nos singles “Bucku Bucku”do grupo MFBTY com a participação de EE e Jino J, Prometheus do Yankie e uma porrada de rapper – é sério, nem vou me atrever a mencionar todos HAHAHA -, U do DJ Primary com a participação também de Kwon Ji-Nah e também lançou Fantastic com participação de Mandy Ventrice, que foi trilha sonora do filme Quarteto Fantástico na Coréia.

No dia 19 de Março de 2017 lançou seu novo single “Change” com a participação do rapper Wale vou deixar esse espaço pra Lola e o Erick dissertar sobre HAHAHA.

[Alana]

Eu já gostaria de ter falado sobre essa música há muito tempo, mas creio que este seja realmente o momento certo. Change saiu no dia do meu aniversário – obrigada pelo presente, líder – e eu amo TANTO essa música que não sei nem por onde começar. A música é em parceria, como a Usagi já disse, de Wale, um rapper americano (mas de origem nigeriana). O MV dessa música é simples, mas é tão criativo que parece que injetaram milhares de dólares nele. Os figurinos e visuais são só eles sendo eles mesmos – e essa é a parte mais incrível de todas, pois muitas vezes, principalmente no k-pop, os idols são obrigados a cantar e agir como manda a empresa, mas neste momento Rap Monster é só o Kim Namjoon. A batida é envolvente e cheia de emoção, e tem as tais heavy rotations no meio da música (em 3:36, quando a música cai) – algo que aparentemente Nam gosta bastante (tanto é que a sua playlist no Spotify leva o mesmo nome). A letra da música é cantada completamente em inglês e fala, basicamente, que o mundo é uma droga e que nós somos a mudança – “I believe that real change lies in the mirror” / “Eu acredito que a mudança real está no espelho”. Ele fala, além disso, de polícia racista – e falar sobre isso numa música pro público coreano é muita ousadia, visto que a Coreia do Sul é extremamente racista -, governos falhos e, como sempre, sistema falho de educação. Amém, Kim Namjoon!

[Erick]

Nossa! Faz tempo que eu não escrevo nada aqui né? HAHAHA – só pra matar a saudade vai lá no meu post de Bojack, porque eu fiquei sabendo que o da Quarta Temporada já ta saindo –

O que dizer dessa pessoa que mal conheço e já considero pacas? Namjoon foi um cara que me ajudou muito e continua me ajudando nos momentos difíceis, pela musica dele, pelo empenho no trabalho e no amor a arte. Talvez eu possa dizer que o Nam é a pessoa que eu mais admiro hoje em dia (já dá pra ver que eu admiro muito ele, né?)

[Usagi]

Enfim, com esse resumo de fatos vocês já puderam notar que esse cara é incrível? Se eu pudesse ter um desejo realizado seria algo como MAIS RECONHECIMENTO PARA KIM NAMJOON! Ele é um excelente líder, sempre se preocupando com os meninos do grupo – e ele não precisa nem dizer, só pelas suas ações a gente reconhece isso. Uma pessoa talentosa e extremamente inteligente, com uma aura tão sábia, mas que não precisa se gabar por isso. Ele sabe que é bom, sim, mas não tem necessidade de se mostrar superior, é na medida certa, sabe? Do tipo “p*rra, meu som é bom e eu tô satisfeito, quero compartilhar isso com o mundo e quero que as pessoas ouçam porque eu coloquei todo meu amor e dedicação nisso” e ele já disse algo do tipo, mesmo que vocês não gostem no final eu espero que vocês ouçam minha música, e é isso cara!

Uma coisa que me deixa louca é ele não ser tão reconhecido por não acharem ele lindo e maravilhoso como os outros membros, cara, isso é tão errado! Primeiramente porque ele é lindo sim, mas não é só isso, ele nunca precisou da beleza pra entrar no BTS. O cara escreve e produz suas próprias músicas desde que debutou – e antes mesmo de debutar -, ok talvez não seja as melhores desde sempre, mas ele evoluiu bastante e eu só tenho orgulho. Meu sonho de princesa é poder conhecer esse cara e falar “Tu é f*da!” e, claro, agradecer pela existência da minha música preferida, Lost – que, novamente, ele compôs. Da vontade, né?

O aniversário é seu, mas o presente é nosso! HAHAHAHA

#HappyNamjoonDay

 

Aqui foi a Usagi e corta!

 

OFF AIR

Deixe uma resposta